A incrível história do indiano que migrou para o Brasil no século 19, domou tigres em circos, entrou para o Exército e lutou na Revolta da Armada

O indiano Suresh Biswas com o uniforme do exército brasileiro

As aventuras de Suresh Biswas no Brasil inspiraram personagens de quadrinhos e livros de ficção na Índia

As aventuras do indiano Suresh Biswas no Brasil do século 19 entraram ganharam asas em seu país e inspiraram personagens de livros de ficção e quadrinhos. Biwas morreu em 1905 como capitão do Exército Brasileiro e lutou na sangrenta Batalha de Niterói da segunda Revolta da Armada (1893), ajudando a derrotar os rebeldes da Marinha.

Mas antes de vestir a farda, ele  havia ficado famoso como domador de tigres e leões em circos, atividade que exerceu no Brasil e na Inglaterra, onde viveu antes de desembarcar aqui. Sua foto revela um orgulhoso indiano com um exuberante bigode curvado, em uniforme militar brasileiro.

Biswas morreu no Brasil em 1905, mas não foi esquecido na Índia.  Na série de livros de detetive “The Adventures os Feluda” (“As Aventuras de Feluda”), escrita por Satyajit Ray, um dos maiores cineastas da História do cinema indiano, há um personagem baseado em Biswas.

Anuncio da Feira Mundial

Nos anos 70, uma tirinha de quadrinhos sobre um um treinador de animais que trabalhou no Brasil foi publicada na revista infantil Manihar. O personagem, claro, também foi inspirado na história de Biswas. O curioso é que na Índia ele ficou conhecido como coronel Biwas. No entanto, ele nunca chegou a essa patente. Biswas lutou na Revolta da Armada como tenente e morreu como capitão.

Algumas biografias foram publicadas a seu respeito desde aquela época. Uma delas, escrita em 1899  por H. Dutt, foi republicada recentemente pela editora da Universidade Jadavpur. A edição incluiu pesquisas feitas pela escritora e tradutora Maria Barrera-Agarwal, nascida no Equador. O título é “Suresh Biswas: His Life and Adventures” (“Suresh Biswas: Sua Vida e Aventuras”).

Biswas desembarcou no Rio de Janeiro em 1885 já com alguma fama de de domador de tigres, leões e elefantes, atividade que desempenhou na Inglaterra, onde viveu antes. Algumas fontes indianas contam que até a família imperial brasileira teria ido assistir uma de suas performances.

Como Biswas era originário da região de Bengala, os jornais locais da época pubicavam notícias sobre a Revolta da Armada, informando ao leitor da Índia que um cidadão indiano que entrou para o Exército brasileiro “demonstrou excepcional coragem” na Batalha de Niteroi, em 1893. Nessa batalha, os militares do Exército derrotaram os rebeldes da Marinha (chamada de Armada naquela época), que haviam se sublevado contra os dois primeiros governos republicanos.

O capitão Biswas, nascido em 1861 em Bengala (Índia), casou-se com uma brasileira e morreu em 1905, aos 47 anos de idade, no Rio de Janeiro. Durante toda a sua vida ele escreveu cartas para um tio da Índia relatando suas aventuras brasileiras e esse material foi precioso para contar a sua história nos jornais indianos da época.

A participação de um indiano em um conflito armado no Brasil como integrante do Exército atraiu a atenção de jornalistas da Índia, que procuravam ressaltar uma atuação heróica do conterrâneo.

Apesar da distância entre a Índia e o Brasil, a Revolta da Armada foi coberta com bastante interesse na Índia, tendo como base as informações veiculadas pela mídia europeia, segundo uma matérias  publicadas recentemente na mídia indiana.

— Florência Costa

Seja o primeiro a comentar em "A incrível história do indiano que migrou para o Brasil no século 19, domou tigres em circos, entrou para o Exército e lutou na Revolta da Armada"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*