Abre Alas para os blocos dos Imigrantes de São Paulo

Foto: Elza Cohen

Blooco Bollywood 2019

O jornal Fanfulla publicou, em 2 de março de 2019, uma matéria sobre os blocos dos imigrantes que desfilam no carnaval paulistano e que formam uma “babel do Samba”. Os blocos criados por comunidades de imigrantes e seus descendentes acabaram escancarando o caráter multicultural da capital paulista, diz a matéria, que destacou as fantasias coloridas e exóticas “até para os padrões da festa de Momo”. O carnaval de São Paulo saiu da mesmice com blocos de coreanos, bolivianos, indianos e italianos

Os imigrantes indianos criaram em 2016 o Bloco Bollywood, com uma mistura de sons, ritmos, fantasias e influências, que arrastou uma multidão de foliões.“O Bloco Bollywood já virou uma referência na folia paulistana por mesclar o ritmo dançante e as coreografias das festas de rua da Índia com os musicais de Bollywood – como é conhecida a mais indústria cinematográfica do mundo, sediada em Mumbai”, descreveu a matéria.

O jornal entrevistou o jornalista indiano Shobhan Saxena, idealizador do bloco, juntamente com a jornalista brasileira Florência Costa, autora do livro Os Indianos (Editora Contexto): “Bollywood se tornou uma representação tão grande da Índia, com sua música e dança, e o carnaval é uma festa brasileira tão importante que eu pensei em misturar isso para celebrar os dois países”.

A reportagem informa que a comunidade indiana em São Paulo não é grande — cerca de 3 mil pessoas, a maioria empresários, executivos expatriados de empresas, acadêmicos ou profissionais liberais –, mas mesmo assim o Bloco Bollywood atraiu muitos paulistanos sedentos para entrar no ritmo contagiante da música bhangra, que embala os filmes de Bollywod.

“O toque brasileiro ficou com a participação da Cherateria, bateria formada por alunos da Faculdade de Física da USP, que acompanhava no ritmo a sucessão de hits indianos”, disse o autor da matéria, observando que a parceria tinha como objetivo criar o ‘sambra’, mistura do nosso samba com o bhangra. Segundo ele, a mistura deu certo: “os integrantes da Cherateria capricharam na percussão e não precisaram recorrer à física quântica para fazer os foliões dançarem e pularem até a dispersão, na Praça Roosevelt”.

— Equipe do Beco da Índia

Leia aqui a reportagem completa

Seja o primeiro a comentar em "Abre Alas para os blocos dos Imigrantes de São Paulo"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*