Bhagat Singh, o herói armado da independência da Índia

O revolucionário indiano Bhagat Singh foi enforcado pelos britânicos em 1931 e hoje é um ícone pop, homenageado por 8 filmes

O rosto de Bhagat Singh, que no dia 28 de setembro é lembrado pelos 113 anos de seu nascimento, está estampado em camisetas, adesivos de carros, canecas, e outros objetos em toda a Índia. Ele é um dos maiores heróis nacionais do país, nascido em 1907 e executado pelos colonizadores britânicos em 1931, quando tinha 23 anos de idade.  Socialista, Bhagat Singh inspirou-se nos exemplos da Revolução Russa de 1917, mas também na Revolução Francesa de 1789 e na Declaração de Independência Americana.

Bhagat Singh lutou com armas contra o Império Britânico e hoje tornou-se um ícone pop, homenageado por líderes da direita à esquerda, passando pelo centro, já que ele deu sua vida pela libertação da Índia. Em 1929 ele atirou em um official britânico, em vigança contra a morte de um colega . E depois promoveu um atentato a bomba na assembleia local de Delhi.

Bhagat Singh na pridão.
Crédito Wikimedia Commons

Preso com outros amigos, ele ganhou muita popularidade atrás das grades, onde costumava devorar livros sobre Marx e Lenin, que eram contrabandeados para ele. “Karl Marx era o seu guru”, diz Kuldip Nayar. Mas Bhagat Singh também amava livros de ficção, especialmente Charles Dickens, Victor Hugo, Maxim Górky e Oscar Wilde.

 “Eu vou sacrificar a minha vida pela causa. Que outro consolo posso ter? …Eu sei que será o fim quando a corda apertar o meu pescoço …. Eu devotei a minha vida pela causa da independência porque eu não poderia fazer de outra forma”, escreveu Bhagat Singh em seu livro “Por que sou um ateísta”.

Leia essa materia sobre o filme Massey Sahib.

Ele se transformou em um símbolo da coragem porque foi à luta em nome da pátria, sabendo que as chances de sobreviver eram mínimas. A libertação da Índia só ocorreu 16 anos após a sua morte. Diferentemente de Mahatma Gandhi, que pregava a luta pacífica, Bhagat Singh, que integrava a Associação Republicana Socialista Hindustan,  defendia a ação armada.

Mas o líder pacifista Mahatma Gandhi admirava a coragem de Bhagat Singh e outros revolucionários, embora não aprovasse o uso de armas e bombas, conta Kuldip Nayar, autor do livro Without Fear – The Life and Trial of Bhagat Singh.

Leia essa materia sobre os tecidos e a Independência da Índia

A sua imagem mais conhecida é com um chapéu ocidental, com o qual costumava se disfarçar. Mas depois, sua imagem com o típico turbante do Punjab, tornou-se muito popular também. Toda uma cultura visual contemporânea cerca a figura de Bhagat Singh.

Veja aqui o trailer do filme The Legend of Bhagat Singh, de 2002

“A onipresença da imagem de Bhagat Singh na cultura popular indiana contemporânea é tal que é freqüentemente comparada à famosa fotografia de Che Guevara feita por Alberto Korda. Tanto Baghat Singh quanto Che eram inegáveis fotogênicos, captando efetivamente o romance, o idealismo e os sacrifícios exigidos do revolucionário”, afirma Kama Maclean, em seu livro A Revolutionary History of Interwar India.  

Vários filmes indianos representam Bhagat Singh e outros libertadores da Índia de forma romântica. “The Legend of Bhagat Singh” (“A Lenda de Bhagat Singh”), de 2002, dirigido por Rajkumar Santoshi, tem como ator principal o galã Ajay Devgan, no papel de Bhagat Singh. Na cena em que ele é enforcado, o ator grita: “Inquilab Zindabad” (“Longa vida à revolução”). 

Outros dois filmes foram lançados nesse mesmo ano. Um foi  “23 de Março de 1931: Shaheed”, com Bobby Deal, Sunny Deol e Amrita Singh, sobre os eventos que levaram à execução do herói e seus colegas Rajguru e Sukhdev. O outro filmes sobre Bhagat Singh lançado em 2002 foi “Shaheed-E-Azam”, com Sonu Sood.

Mais recentemente, em 2006,  Bollywood lançou um grande  sucesso sobre os revolucionários da Era de Bhagat Singh:  “Rang De Basanti” (“Pinte de açafrão”), de 2006, com o astro Aamir Khan, que ganhou vários prêmios.

Mas muitos anos antes, o revolucionário indiano já havia sido homenageado nas telas. O primeiro filme sobre sua vida , dirigido por Jagdish Gautam, foi em 1954: “Shaheed-e-Azad Bhagat Singh”. 

Nos anos 60 foram lançados dois filmes. Em 1963, o “Shaheed Bhagat Singh”, dirigido por KN Bansal, teve com ator principal Shammi Kapoor, uma estrela bollywoodiana. Em 1965, “Shaheed” ficou ganhou o coração do público e o prêmio Nargis Dutt de melhor filme nacional.

— Florência Costa

Leia aqui essa materia com dicas sobre Mahatma Gandhi

Seja o primeiro a comentar em "Bhagat Singh, o herói armado da independência da Índia"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*