Como Charles Chaplin surgiu na Bollywood dos anos 50

O diretor, ator e produtor indiano Raj Kapoor indianizou Charles Chaplin em seus filmes que abordam temáticas sociais

Florência Costa

Ele foi o primeiro ícone global de Bollywood e tornou-se o camarada indiano preferido dos soviéticos. Com o seu filme “Awara” (“O Vagabundo”), lançado em 1951, justamente na Era Dourada pós-colonial do cinema indiano, o ator, diretor e produtor Raj Kapoor atravessou fronteiras e foi reverenciado por plateias internacionais.

Uma dos três superestrelas do cinema indiano dos anos 50, juntamente com Dev Anand e Dilip Kumar, Raj Kapoor (1924-1988) fez 62 filmes e ficou mais conhecido pelo seus personagens chaplinianos. Raj Kapoor indianizou Charles Chaplin para sempre. E foi justamente o filme “Awara” que marcou o iníci da fase “chaplinesca” de Raj Kapoor, com uma mistura de humor, romantismo, idealismo e drama

Para quem acompanha as notícias atuais de Bollywood, a grande referência desse ídolo é Kareena Kapoor –  uma das maiores estrelas do cinema indiano dos dias de hoje –  é neta de Raj Kapoor. Ele foi uma lenda na história do cinema da Índia, juntamente com sua parceira de tela, a atriz Nargis Dutt, com quem teve um um intenso relacionamento que transbordou o plano profissional. Os dois formaram a dupla de ouro de “Awara”, um dos filmes mais importantes da cinematografia indiana.

Leia a matéria sobre um curta-fábula do grande cienasta indiano Satyajit Ray

Em “Awara” e em vários outros filmes Raj Kapoor encarnou o herói trágico. Seu personagem, também chamado Raj, era um um adorável vagabundo  que se apaixona por uma moça rica, a advogada Rita. AO cair de amores por ela, ele não a reconheceu: Rita era a sua maior amiga de infância. A trama revela a injustiça social bem típica dos enredos bollywoodianos daqueles tempos. O filme mostra o cículo vicioso de crime e pobreza.

Awara em cartaz na Russia. Crédito: Twitter

Um detalhe interesante de “Awara” é que o próprio pai de Raj Kapoor, Prithviraj Kapoor –  o pioneiro do teatro indiano –  atua no filme. Prithviraj Kapoor faz o papel do juiz Ragunath, pai de Raj. Patriarca do clã mais famoso de Bollywood, ele foi o fundador do famoso Prithvi Theatre em Mumbai.

Lá, as peças inspiravam  a juventude indiana a participar do movimento pela independência. O próprio Raj Kapoor foi treinado no teatro do pai.  E o avô de Raj Kapoor também trabalhou no filme: Dewan Basheshwarnath Kapoor faz o papel de pai de Prithviraj Kapoor, de quem era pai na vida real.

Na primeira cena de “Awara”, Raj está na corte, sob julgamento  por tentativa de assassinato do juiz Raghunath. Sem ninguém para defendê-lo, a advogada Rita, filha adotiva do próprio juiz e já amante de Raj, surge para cumprir o papel brilhantemente. E nessa defesa, Rita escava o passado sombrio do juiz, que abandonou seu filho.

Raj, saído de uma favela de Bombaim (atual Mumbai), havia sido educado por uma mãe abandonada pelo marido, justamente o juiz Raghunath. Rita destrói as concepções sociais preconceituosas do juiz e demonstra a conexão entre pobreza e injustiça social com criminalidade.  O filme foi produzido em um momento em que a Índia procurava se constuir como nação, após o trauma da colonização: a independência indiana havia sido conquistada em 1947, apenas quatro anos antes do lançamento de “Awara”.

Conheça essa obra do cinema indeoendente indiano

O sucesso desse filme da “Era da Bollywood Socialista”, repletos de temáticas sociais, chegou ào Leste da Ásia, à China, à Africa, ao Oriente Médio, à Europa Oriental e desembarcou com tudo na então URSS, onde Raj Kapoor e Nargis eram idolatrados. “Awara” foi o primeiro sucesso da indústria cinematográfica indiana na extinta União Soviética.

Nargis Dutt e Raj Kapoor em Awara

 A música “Awara Hoon” (“Eu sou um vagabundo”) conquistou o público indiano e estrangeiro, tornando-se um verdadeiro hino dos países socialistas. O filme foi indicado para o Grand Prize do Festival de Cannes em 1953. Raj Kapoor fez várias vezes o papel de herói trágico, como no filme “Phir Subah Hogi”, de  1958 , inspirado levemente em “Crime e Castigo”, de Fyodor Dostoiévsky. Kapoor interpreta Ram, um homem de coração bom, mas que acaba arranjando problemas ao ajudar um menino doente, filho de um alcólatra: Ram se apaixona pela irmã do menino.

Leia aqui a matéria sobre o primeiro filme falado do cinema indiano

Mas é no filme “Shree 420” (1955), que Raj Kapoor imita mais intensamente os passos de Charles Chaplin, com seu personagem cômico-tráfico. O título se refere ao código penal para trapaça. Raj Kapoor, que contracena novamente com Nargis,  faz o papel de um um homem inocente do interior que chega em Bombaim, uma grande cidade da Índia, e acaba no meio de uma gangue de criminosos. Sua única habilidade é enganar durante jogos de cartas. Assistir os filmes de Raj Kapoor é fazer um mergulho na rica história do cinema indiano.

Veja aqui a cena do filme “Awara” que mostra a famosa música “Awara Hoon”

Seja o primeiro a comentar em "Como Charles Chaplin surgiu na Bollywood dos anos 50"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*