Maradona, um deus esportivo no panteão dos indianos

Grafiti de Maradona. Crédito: Wikimedia Commons

Diego Maradona era um ídolo na Índia, especialmente nos estados de Bengala Ocidental e Kerala, onde os torcedores indianos se divivem entre Argentina e Brasil durante as Copas do Mundo

Florência Costa

“Eu amo a Índia, eu amo a Índia, eu amo Kerala”, disse Diego Maradona quando visitou o estado indiano em 2012. Maradona era uma divindade para milhões na Índia. Durante as Copas do Mundo, indianos vestiam a camiseta azul clara e branca da seleção argentina.

Maradona sempre esteve na imaginação indiana, mesmo após a sua aposentadoria. Há várias estátuas do ídolo na Índia e em dezembro de 2017 o craque argentino fez mais uma visita ao país  para inaugurar uma delas. 

A primeira Copa do Mundo transmitida ao vivo para a Índia foi a de 1986, no México, quando a Argentina de Diego Maradona saiu-se gloriosa. A partir daí, os indianos passaram a incluir Maradona no panteão de seus deuses esportivos.

Além do futebol, havia um motivo a mais para os indianos comemorarem essa vitória da seleção da Argentina e especialmente contra a seleção inglesa na semifinal: isso se devia a um sentimento de revanche pela guerra das Malvinas, quatro anos antes da Copa. Os indianos, colonizados pelos britânicos, torciam para a Argentina.

Estátua de Maradona em Kolkota. Crédito: Youtube

Na Índia, o futebol é extremamente popular em dois estados: Bengala Ocidental, no Leste, e Kerala, no Sul. Nos dois lugares respira-se futebol, apesar de o esporte nacional no país ser o críquete. Os torcedores desses dois estados dividem-se entre Brasil e Argentina durante as Copas e chegam até mesmo a brigar nas ruas.

A primeira visita de Maradona a Kolkota foi em 2008. Milhares de fãs foram recebê-lo no aeroporto. Em 11 de dezembro de 2017 ele desembarcou lá para inaugurar mais uma estátua e para participar de um jogo para arrecadar dinheiro para causas sociais, ao lado de um grande ídolo do críquete indiano: Souray Ganguly, ex-capitão da seleção indiana. Maradona passou um longo tempo com crianças indianas,  que vestiam a camisa 10, do “El Diez”.

A notícia de sua morte, neste 25 de novembro de 2020, causou um forte impacto entre indianos apaixonados por futebol e que não esquecem a magia de Maradona. Maradona conquistou um lugar no panteão das divindades esportivas na Índia e no coração dos indianos.


Seja o primeiro a comentar em "Maradona, um deus esportivo no panteão dos indianos"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*