Como um grande mestre pintou a mitologia indiana

Cenas dos milenares épicos indianos Ramaiana e Mahabhárata foram pintadas pelo grande artista indiano Raja Ravi Varma, que viveu no século 19. Uma delas é esta: Jatayu Vadham, do sânscrito “O assassinato de Jatayu”, do Ramaiana, que conta a estória de um rei-demônio de Lanka que rapta Sita, esposa do príncipe Rama.

Jatayu Vadham

Jatayu é um abutre, mas ao mesmo tempo um semi-deus e assim, era capaz de falar a língua humana. Quando os demônios do rei Ravana raptaram a esposa de Rama e estavam a caminho de Lanka, Jatayu tentou resgatar Sita. Mas Ravana resistiu e cortou uma das asas de Jatayu, que caiu no chão. A pintura de varma, feita em 1895, representa esse momento, enquanto Ravana voa carregando Sita.
Mesmo caído, Jatayu conseguiu sobreviver para contar a Rama sobre o rapto de Sita, segundo o mito.

Shakuntala

Outra obra do artista indiano que remete aos grandes épicos é Shakuntala, uma importante personagem do Mahabhárata. Esposa do príncipe Dushyanta e mãe do imperador Bharat, neste quadro Shakuntala é representada como uma jovem apaixonada que se vira para olhar o amado com a desculpa de tirar um espinho do pé.

Florência Costa

Seja o primeiro a comentar em "Como um grande mestre pintou a mitologia indiana"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*