Os três gestos indianos milenares que expressam ausência de medo, concentração mental e a caridade

Esculturas de mudras no Aeroporto Internacional em Nova Deli. Crédito: Wikipedia

Na cultura indiana, os mudras (gestos corporais, especialmente das mãos, e também dos dedos) são muito importantes para expressar ideias e sentimentos. Nas religiões nascidas na Índia, como Budismo, Hinduismo, Jainismo e Sikhismo, os mudras servem para representar algum aspecto desses ensinamentos. Conheça aqui três de alguns mudrâs muito especiais, que são considerados específicos do Buda: eles significam, respectivamente, ausência de medo, concentração mental, e caridade:

Credito: Wikipedia

Abhaya Mudra
É a representação da ausência de medo, da proteção, da benevolência. É um gesto que acalma e pacifica. O antebraço direito dobrado é erguido em ângulo quase reto, a palma da mão é exibida para fora, com os dedos voltados para o alto. Este é um dos mudras mais antigos representados em imagens hinduístas, budistas, jainistas e sikhistas. Esse mudra aparece, por exemplo em uma famosa imagem Hinduísta: a do deus Shiva Nataraja, em sua dança cósmica. Imagens de Buda com esse gesto também são muito comuns, mas é provável que o Abhaya mudra seja anterior ao Budismo (que surgiu há 2.500 anos), um gesto utilizado como sinal de proposição de amizade para estranhos na Índia antiga.

Credito: Wallpaper Fare

Dhyana Mudra
É o mudra mais famoso, por ser associado com a prática da meditação. Na verdade, a palavra “dhyana”, do Sânscrito, significa meditação. Esse gesto representa a concentração mental, o ponto alto do samâdhi, ou sejja, da disciplina do espírito. As duas mãos repousam sobre as pernas cruzadas (ou se você estiver sentado numa cadeira,  elas repousam sobre as coxas). As palmas estão voltadas para cima, uma sobre a outra. Evoca-se com esse gesto, a obtenção da iluminação, o despertar.

Credito: Wallpaper Fare

Varada Mudra
Este gesto representa a doação, a caridade, a compaixão, a sinceridade. O braço direito é estendido para baixo, a palma da mão é exibida para fora, com os dedos mais ou menos estendidos. Esse mudra serve para nos lembrar que é preciso cultivar a prática da generosidade em nossas vidas. O Varada mudra e o Abhaya mudra (da falta de medo) são os mais comuns vistos em imagens divinas das religiões indianas. O Varada mudra era muito comum em representações de divindades nos séculos 4 e 5 d.C na Índia.

— Equipe Beco da Índia

Seja o primeiro a comentar em "Os três gestos indianos milenares que expressam ausência de medo, concentração mental e a caridade"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*