Por que as danças clássicas indianas atraem tantos estrangeiros?

Sharon Lowen, famosa dançarina de Odissi

A Índia sempre teve uma rica tradição em danças clássicas. As variadas formas de danças atraem não só indianos, mas muitos estrangeiros, que vão para a Índia só para aprendê-las. Uma das mais prestigiadas dançarinas clássicas de origem estrangeira radicada na Índia é Ileana Citaristi, nascida na Itália. Ela foi levada à Índia por seus pais em 1979, quando tinha 11 anos de idade, para aprender danças.

O estilo Odissi a cativou completamente. Ileana nunca mais voltou à sua terra natal, passou a viver em Bhubaneshwar, capital do estado de Orissa, onde hoje ela tem uma escola de danças e uma academia de artes multidisciplinar. O guru de Ileana foi o lendário Kelucharan Mohapatra, mestre de Odissi.

Em 2006, Ileana foi a primeira dançarina de origem estrangeira a receber o Padma Shri, uma das maiores homenagens conferidas pelo governo indiano a civis.

Apresentação de Odissi

As danças clássicas indianas são expressivas em tudo: no movimento do corpo, dos pés, das mãos, nas expressões faciais dos dançarinos, nos seus trajes exuberantes. O movimento da sobrancelha conta alguma história. É preciso prestar a atenção nos menores detalhes: dos olhos, aos dedos dos pés dos artistas.

Apesar de serem milenares, as danças clássicas indianas estão sempre em evolução, por isso continuam vivas. Elas se adaptam aos novos tempos. Hoje, por exemplo, as apresentações são mais rápidas e a quantidade de mudras (gestos das mãos) que expressam os sentimentos e emoções, são menores.

Um artigo sobre Ileana Citarista publicado em o jornal Telengana Today

A Academia Nacional Para as Artes Performáticas (Sangeet Natak Akademi), criada pelo governo indiano, reconhece oito estilos de danças clássicas do país, além do Odissi: Bharatanatyam, Kathak, Kathakali, Kuchipudi, Manipuri, Mohiniyattam e Sattriya.

— Equipe do Beco da Índia

Seja o primeiro a comentar em "Por que as danças clássicas indianas atraem tantos estrangeiros?"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*