Tamil Nadu, o berço da civilização dravídica

Templo Kapaleeshwarar. Crédito: Florencia Costa

Muita gente fora da Índia procurou saber mais informações sobre Tamil Nadu nesses últimos dias. Isso porque é o estado indiano onde nasceu a mãe de Kamala Harris, vice-presidente eleita dos EUA. Localizado no Sul da Índia, Tamil Nadu é o berço de uma das civilizações clássicas do mundo, a Dravídica, com a sua própria língua, literatura,  danças, música e gastronomia. Tudo bastante diferente do Norte do país, onde fica a capital Nova Delhi, o Rajastão, e Agra, a cidade do Taj Mahal..

Shyamala Gopalan, uma especialista em câncer, com doutorado em nutrição e endocrinologia, nasceu em Chennai, a capital de Tamil Nadu, e migrou para os Estados Unidos em 1958, onde conheceu o marido jamaicano, o economista Donald Harris e teve duas filhas: Kamala e Maya. O nome de Kamala, em Sâsncrito,  significa “lotus”, a flor sagrada do Hinduismo e do Budismo.

Leia tambpem sobre a cidade de Mumbai

P.V. Gopalam, um diplomata, foi o avô materno de Kamala. Ele nasceu num vilarejo a 300 km de Chennai: Thulasendrapuram, que estava em festa nos últimos dias, adiantando o Festival das Luzes que toma conta da Índia nesse mês, o Diwali. Kamala visitou Thulasendrapuram, situada no distrito de Thiruvarur, quando tinha 5 anos de idade.

Shyamala, que morreu em 2009, foi uma ativista dos direitos civis também e incentivou suas duas filhas a serem mulheres independentes e fortes. Mas a tradição feminina já havia sido passada a Shyamala por sua mãe, Rajam Gopalam, uma liderança comunitária no vilarejo de Tamil Nadu. “Minha mãe cresceu em uma casa onde o ativismo político e a liderança civil eram naturais”, contou Kamala, hoje com 56 anos, em sua autobiografia “ The Truth we holds” (2019)

No templo Parthasarathy. Crédito: Florencia Costa
Dentro do templo Kapaleeshwarar. Crédito: Florencia Costa

Chennai, a antiga Madras, é conhecida na Índia como uma cidade que abraça até hoje as tradições e sua cultura milenar. Mas ao mesmo tempo é uma metrópole moderna e  um polo do turismo médico, área de atuação, aliás, da mãe de Kamala Harris.

 Chennai também se destacou como um importante centro da indústria automobilistica e da tecnologia da Informação. É um perfeito casamento entre a tradição e a tecnologia, como resumiu o jornalista Bishwanath Ghosh, autor do livro “Tamarind City: Where modern India Began”. 

Para quem está acostumada ao Norte da Índia, como eu, uma visita a Tamil Nadu traz muitas supresas. Chennai é uma cidade limpa e organizada. Salta aos olhos a quantidade de mulheres que trabalham nas ruas, como vendedoras ambulantes, por exemplo, cenas bem mais  raras no Norte da Índia, muito mais patriarcal.

Cartaz de filme em Chennai. Crédito: Florencia Costa

O apego às tradições é visível nos templos hindus mais visitados por turistas em Chennai, como Parthasarathy, do século 8, dedicado a Vishnu. Construído pelos governantes da Dinastia Pallavas, o templo homenageia Krishna, avatar de Vishnu, e seu papel no épico Mahabhárata. Outro templo imperdível é  o Kapaleeshwarar, dedicado a Shiva e sua forma de pavão.

Conheça a ilha protegida por Shiva

O Forte São Jorge, construído no século 17 como marco da cidade, é um ponto turístico obrigatório, com um museu e uma igreja erguida pelos britânicos. Há em Chennai também igrejas construídas pelos portugueses, que desembarcaram por lá no século 17, como a Catedral de São Tomé.

Vale a pena andar pelas praias de Chennai, com suas extensas faixas de areia que separam o calçadão do mar. Nesse passeio, o visitante pode sentir a vibração dos locais: lá você vai cruzar com vendedores de milho, adivinhos, garotos empinando pipa ou jogando críquete. A própria Kalama Harris costuma lembrar de seus passeios pela praia como avô, quando visitava Chennai.

— Florência Costa

Se você quer saber mais sobre a culinária do Sul da Índia, leia aqui

Seja o primeiro a comentar em "Tamil Nadu, o berço da civilização dravídica"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*