Você conhece a “rainha do picles”?

Credito: Florencia Costa

Sabe aquela comida sem graça? Pode ser um arroz com feijão meio insosso, um franguinho grelhado sem gosto, ou aquele sanduiche de queijo da meia noite. Eles ganham uma vida nova se você tiver uma poção mágica em casa: picles. Essa iguaria de milhares de anos é uma arraigada tradição na Índia. Não há uma boa casa indiana sem um vidro de picles, de preferência caseiro. 

Além de ser uma bomba de sabor, o picles é um símbolo do movimento que luta contra jogar comida fora, já que usa sobras de vegetais, frutas etc. Pois bem, existe uma “rainha do picles” e ela vive, é claro, na Índia. Em 1998, um livro com mil receitas de picles chegou, sem pretensões, às livrarias  daquele país: Usha’s Pickle Digest. Era tão sem pretensão que apenas mil cópias foram impressas na primeira edição: uma gota no oceano de leitores desse país de 1.3 bilhão de habitantes.

As receitas destes condimentos haviam sido pescadas e testadas pela advogada Usha Prabakaran de amigos e familiares durante vários anos. Na verdade, Usha, 64 anos,  aprendeu a amar picles com sua sogra, que preparava pelo menos três tipos dessa iguaria por semana. Segundo essa indiana de Chennai (Sul do país),  havia uma mágica nestas delícias feitas pela mãe de seu marido.

Com disciplina de ferro, Usha conseguiu escrever seu livro sobre essa cultura do picles, enraizada na alma dos indianos há milhares de anos, quando pepinos eram preservados no sal. A propaganda boca-a-boca fez efeito durante os anos e sua obra passou a ser chamada de “bíblia” pelos amantes de picles. Virou um livro “cult” no país.  Ele inclui, além das receitas, todas feitas com preservantes naturais, informações sobre seus benefícios para a saúde.

A “rainha do picles” – como passou a ser chamada na Índia – queria não apenas documentar as receitas, mas também ensinar e quebrar a ideia falsa de que preparar picles é um trabalho tedioso. Tudo começou com 25 receitas, algumas delas segredos valiosos de família. Mas sua coleção foi crescendo de forma exponencial.

Vários tipos de picles. Credito: Wikipedia

Primeiro ela começou a fazer enormes quantidades de picles para testar com os amigos. Mas o trabalho ficou muito cansativo e aí ela passou a enviar a eles as receitas. Os amigos faziam as receitas e davam o “feedback”. Ela chegou a testar 5 mil receitas, mas teve de cortar para mil para incluir no livro, apenas o topo de um imenso iceberg de sabores que ainda estão para serem catalogados.

 Os ingredientes dessa enciclopédia do picles são infinitos e incluem frutas, vegetais, sementes, raízes e flores: manga, gengibre, cenoura, cebola, pimenta calabresa, couve-flor, tamarindo, melão, aspargo, lentilhas, nozes, groselha dos Himalaias, limão, mamão e por aí vai.

O livro ganhou fama, elogiado por blogueiros especialistas em culinária, e acabou esgotado. Mas Usha trabalha em uma edição para ser publicada como e-boock. A outra boa notícia é que Usha tem no forno outra obra: desta vez sobre Rasam, sopas vegetarianas condimentadas do Sul da Índia. Esse segundo livro está sendo feito por vários anos, com testes meticulosos de receitas.

Em uma entrevista que ela deu ao The New York Times , Usha explicou que apesar de ter se formado advogada, nunca quis seguir carreira. O que gostava mesmo era cozinhar. Daí, até chegar ao incrível catálogo, publicado por ela mesma, foi um pulo. Mas quando ela lançou o livro, caiu doente com uma infecção no cérebro e se submeteu a uma cirurgia. Levou um longo tempo para se recobrar e até hoje ela tem uma vida mais preservada.

Veja aqui como fazer o picles de cenoura com gengibre :

Veja aqui uma das suas receitas, bem fácil de fazer: Picles de cenoura com gengibre. Ingredientes: 1 cenoura ralada grande, 1\4 de xicara de suco de limão, um pedaço gengibre ralado de 5 cm, 2 colheres de sopa de sal kosher, uma pequena pimenta malagueta verde picada (mas pode usar a vermelha tambem). Modo de preparo: misturar tudo numa tijela e passar a mistura para um pote de vidro. Pode permanecer uma semana fora da geladeira, em temperatura ambiente. Na geladeira, dura duas semanas.

Seja o primeiro a comentar em "Você conhece a “rainha do picles”?"

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*